VGI Agentes

Julia Lund
Grupo(s): Atores

Julia Lund

Idiomas: Português
Faixa Etária: 30 a 50 anos
Gênero: Feminino
Altura: 1.62m

Release

Julia Lund é atriz e cofundadora da companhia de teatro Polifônica Cia., através da qual idealizou e atuou nos espetáculos “Estamos indo embora…” (2015), “Amor em dois atos” (2016), pela qual foi indicada ao Prêmio APTR 2017 de melhor atriz protagonista, “Galáxias” (2018), e em 2020 estreia “Na boca do vulcão” no Sesc Av. Paulista. Ainda pela Cia., em 2017 foi uma das artistas contempladas com uma bolsa de pesquisa do programa Estímulo à Criação, Experimentação e Pesquisa Artística da Faperj.

Cursou Artes Dramáticas na UniverCidade, iniciou a sua carreira profissional no teatro em 2004 ao integrar a Cia. Teatro Autônomo, dirigida por Jefferson Miranda, tendo participado da criação dos espetáculos “E agora nada é mais uma coisa só” (2005); “Nu de mim mesmo” (2008); e “Série 21” (2010), atuando em todos eles ao lado de nomes como Malu Galli, Gisele Fróes, Miwa Yanagizawa, Adriano Garib e Otto Jr.

Fora da Cia. Teatro Autônomo, atuou em mais de vinte peças, entre elas “Beije minha lápide”, ao lado de Marco Nanini (2015); “Razões para ser bonita”, ao lado de Ingrid Guimarães (2015); “A conferência dos pássaros” ao lado de Carolina Kasting (2014); “Elefante” (2013), com a Probástica Cia.; “A Gaivota” (2012), de Tchekhov, com direção de Bruno Siniscalchi e supervisão de Bia Lessa; além de “Ricardo III” (2012), de Shakespeare, com direção de Claudio Baltar e Fábio Ferreira, numa coprodução com a Royal Shakespeare Company apresentada em Londres e em Stratford-upon-Avon.

Na TV Globo atuou recentemente na novela “A dona do pedaço” (2019), de Walcyr Carrasco, e na novela “Pega pega” (2018), de Claudia Souto; assim como também atuou na novela “Caras e bocas” (2009), de Walcyr Carrasco, e realizou diversas participações, entre as mais recentes nas séries “Filhas de Eva” e “Desalma”.

Ainda na TV, foi a protagonista do episódio “A gangue dos Palhaços” da série “Terrores urbanos” (2018, Record), assim como foi uma das protagonistas da série “Do amor” na 1º e 2º temporadas (2013, Multishow).

Histórico

TV

Série “Filhas de Eva” – Rede Globo (2020)

Série “Desalma”, personagem Odessa – Rede Globo (2020)

Novela “A Dona do Pedaço”, personagem Roma – Rede Globo (2019)

Série “Lendas Urbanas” protagonista do ep. “A gangue dos palhaços”– Record (2018)

Novela “Pega pega”, personagem Mônica – Rede Globo (2017/2018)

Série “Do Amor”, personagem Eva – 1º e 2º temporada – Multishow (2012/2-13)

Série “Grande Família”, personagem Namorada Tuco – Rede Globo (2013)

Novela “Caras e Bocas”, personagem Hannah – Rede Globo (2010)

Novela “Minha Terra, Minha Mãe”, personagem Karina – Co-produção Brasil-Angola – TPA (2008)

Novela “Malhação”, personagem Kátia – Rede Globo (2007)

Novela “Malhação”, personagem Gisele – Rede  Globo (2005)

 

Cinema

“Ninguém ama ninguém por mais de dois anos”- Nelson Rodrigues – Direção de Clóvis Melo

“As Horas Vulgares” – Longa metragem – Direção Rodrigo de Oliveira e Vitor Grazie

“Afetos Secretos” – Média metragem – Direção Graça Pizá

Teatro

“Galáxias: Todo esse céu é um deserto de corações pulverizados”, da Polifônica Cia., com direção de Luiz Felipe Reis – (2018).

“Amor em dois atos”, da Polifônica Cia., com direção de Luiz Felipe Reis – (2016).

“Beije minha lápide”, com Marco Nanini e direção de Bel Garcia – (2015).

“Estamos indo embora…”, da Polifônica Cia., com direção Luiz Felipe Reis – (2015).

“Razões para ser bonita”, com Ingrid Guimarães e direção de João Fonseca – (2015).

“A Conferência dos Pássaros”, direção de Mauricio Grecco – (2014).

“Elefante”, de Walter Daguerre, com direção de Igor Angelkorte – (2014).

“A Gaivota”, de Tchekhov, com direção Bruno Siniscalchi e supervisão Bia Lessa – (2013).

“Ricardo III” de Shakespeare, com direção de Claudio Baltar e Fabio Ferreira, numa coprodução da Royal Shakespeae Company (peça apresentada em Stratford-upon-Avon e Londres) – (2012).

“Naotemnemnome”, da Cia das Inutilezas, com direção Emanuel Aragão – (2012).

“Série 21” da Cia Teatro Autônomo, com direção Jefferson Miranda – (2011).

“Nu de Mim Mesmo”, da Cia Teatro Autônomo, com direção de Jefferson Miranda – (2010).

“E agora nada é mais uma coisa só”, da Cia Teatro Autônomo, com direção de Jefferson Miranda – (2008).

“Beijo na boca” de Carlos Thiré e Eduardo Albergaria, com direção de Carlos Thiré;

“O menino maluquinho” de Ziraldo, com direção de Felipe Camargo;

“A serpente” de Nelson Rodrigues, com diireção Christiane Jathay;

“Grease” com direção de Gabi Amaral e supervisão Sura Berditchevsky;

“Isso me é familiar” direção de Walesca Áreas e supervisão  Sura Berditchevsky.

Aptidões

■ Dança: Contemporâneo, Jazz
■ Esportes: Natação, Yoga, Musculação, Pilates

Prêmios

indicada ao Prêmio APTR 2017 de melhor atriz protagonista por “Amor em dois atos” (2016)

Elementor #603

Julia Lund

Altura: 1.62m
Faixa etária:
Idiomas: Português

Release

Julia Lund é atriz e cofundadora da companhia de teatro Polifônica Cia., através da qual idealizou e atuou nos espetáculos “Estamos indo embora…” (2015), “Amor em dois atos” (2016), pela qual foi indicada ao Prêmio APTR 2017 de melhor atriz protagonista, “Galáxias” (2018), e em 2020 estreia “Na boca do vulcão” no Sesc Av. Paulista. Ainda pela Cia., em 2017 foi uma das artistas contempladas com uma bolsa de pesquisa do programa Estímulo à Criação, Experimentação e Pesquisa Artística da Faperj.

Cursou Artes Dramáticas na UniverCidade, iniciou a sua carreira profissional no teatro em 2004 ao integrar a Cia. Teatro Autônomo, dirigida por Jefferson Miranda, tendo participado da criação dos espetáculos “E agora nada é mais uma coisa só” (2005); “Nu de mim mesmo” (2008); e “Série 21” (2010), atuando em todos eles ao lado de nomes como Malu Galli, Gisele Fróes, Miwa Yanagizawa, Adriano Garib e Otto Jr.

Fora da Cia. Teatro Autônomo, atuou em mais de vinte peças, entre elas “Beije minha lápide”, ao lado de Marco Nanini (2015); “Razões para ser bonita”, ao lado de Ingrid Guimarães (2015); “A conferência dos pássaros” ao lado de Carolina Kasting (2014); “Elefante” (2013), com a Probástica Cia.; “A Gaivota” (2012), de Tchekhov, com direção de Bruno Siniscalchi e supervisão de Bia Lessa; além de “Ricardo III” (2012), de Shakespeare, com direção de Claudio Baltar e Fábio Ferreira, numa coprodução com a Royal Shakespeare Company apresentada em Londres e em Stratford-upon-Avon.

Na TV Globo atuou recentemente na novela “A dona do pedaço” (2019), de Walcyr Carrasco, e na novela “Pega pega” (2018), de Claudia Souto; assim como também atuou na novela “Caras e bocas” (2009), de Walcyr Carrasco, e realizou diversas participações, entre as mais recentes nas séries “Filhas de Eva” e “Desalma”.

Ainda na TV, foi a protagonista do episódio “A gangue dos Palhaços” da série “Terrores urbanos” (2018, Record), assim como foi uma das protagonistas da série “Do amor” na 1º e 2º temporadas (2013, Multishow).

Histórico

TV

Série “Filhas de Eva” – Rede Globo (2020)

Série “Desalma”, personagem Odessa – Rede Globo (2020)

Novela “A Dona do Pedaço”, personagem Roma – Rede Globo (2019)

Série “Lendas Urbanas” protagonista do ep. “A gangue dos palhaços”– Record (2018)

Novela “Pega pega”, personagem Mônica – Rede Globo (2017/2018)

Série “Do Amor”, personagem Eva – 1º e 2º temporada – Multishow (2012/2-13)

Série “Grande Família”, personagem Namorada Tuco – Rede Globo (2013)

Novela “Caras e Bocas”, personagem Hannah – Rede Globo (2010)

Novela “Minha Terra, Minha Mãe”, personagem Karina – Co-produção Brasil-Angola – TPA (2008)

Novela “Malhação”, personagem Kátia – Rede Globo (2007)

Novela “Malhação”, personagem Gisele – Rede  Globo (2005)

 

Cinema

“Ninguém ama ninguém por mais de dois anos”- Nelson Rodrigues – Direção de Clóvis Melo

“As Horas Vulgares” – Longa metragem – Direção Rodrigo de Oliveira e Vitor Grazie

“Afetos Secretos” – Média metragem – Direção Graça Pizá

Teatro

“Galáxias: Todo esse céu é um deserto de corações pulverizados”, da Polifônica Cia., com direção de Luiz Felipe Reis – (2018).

“Amor em dois atos”, da Polifônica Cia., com direção de Luiz Felipe Reis – (2016).

“Beije minha lápide”, com Marco Nanini e direção de Bel Garcia – (2015).

“Estamos indo embora…”, da Polifônica Cia., com direção Luiz Felipe Reis – (2015).

“Razões para ser bonita”, com Ingrid Guimarães e direção de João Fonseca – (2015).

“A Conferência dos Pássaros”, direção de Mauricio Grecco – (2014).

“Elefante”, de Walter Daguerre, com direção de Igor Angelkorte – (2014).

“A Gaivota”, de Tchekhov, com direção Bruno Siniscalchi e supervisão Bia Lessa – (2013).

“Ricardo III” de Shakespeare, com direção de Claudio Baltar e Fabio Ferreira, numa coprodução da Royal Shakespeae Company (peça apresentada em Stratford-upon-Avon e Londres) – (2012).

“Naotemnemnome”, da Cia das Inutilezas, com direção Emanuel Aragão – (2012).

“Série 21” da Cia Teatro Autônomo, com direção Jefferson Miranda – (2011).

“Nu de Mim Mesmo”, da Cia Teatro Autônomo, com direção de Jefferson Miranda – (2010).

“E agora nada é mais uma coisa só”, da Cia Teatro Autônomo, com direção de Jefferson Miranda – (2008).

“Beijo na boca” de Carlos Thiré e Eduardo Albergaria, com direção de Carlos Thiré;

“O menino maluquinho” de Ziraldo, com direção de Felipe Camargo;

“A serpente” de Nelson Rodrigues, com diireção Christiane Jathay;

“Grease” com direção de Gabi Amaral e supervisão Sura Berditchevsky;

“Isso me é familiar” direção de Walesca Áreas e supervisão  Sura Berditchevsky.

Aptidões:

> Dança: Contemporâneo, Jazz

> Esportes: Natação, Yoga, Musculação, Pilates
Prêmios:

• indicada ao Prêmio APTR 2017 de melhor atriz protagonista por “Amor em dois atos” (2016)