VGI Agentes

Silvia Lourenço
Grupo(s): AtoresRoteiristas

Silvia Lourenço

Idiomas: Inglês - Fluente • Francês - Básico • Espanhol - Básico
Faixa Etária: 41 a 50 anos
Gênero: Feminino • Não-binário
Altura: 1.60m

Release

Sílvia Lourenço é atriz e roteirista. Estudou Letras na USP, Artes Cênicas no Teatro-Escola Célia Helena e trabalhou por quatro anos no Centro de Pesquisa Teatral, dirigido por Antunes Filho, atuando e escrevendo cenas das três primeiras edições do projeto Prêat-à-Porter. Outras peças destacam-se em sua trajetória, tais como: “Essa Nossa Juventude”, dirigida por Laís Bodansky, “A Pantera”, dirigida por Marco Antônio Brás e “As Meninas”, dirigida por Yara de Novaes.
Estreou no cinema como protagonista do longa metragem “Contra Todos”, de Roberto Moreira, trabalho pelo qual ganhou mais de dez prêmios nacionais e internacionais, incluindo APCA e Festival do Rio. Também teve sua atuação reconhecida em “O Cheiro do Ralo” dirigido por Heitor Dhália, pelo qual ganhou o prêmio de melhor atriz da Academia Brasileira De Cinema em 2005.
Outros filmes vieram, como: “Cano Serrado” Direção Erik de Castro, “Depois de Ser Cinza” Direção Eduardo Wannmacher e “Gosto se Discute” Direção André Pellenz.
Seus mais recentes trabalhos foram “Modo Avião” (2020), dirigido por César Rodrigues para o canal Netflix e a série “Assédio” (2018) Globo Play.
Na televisão atuou em diversas séries, entre elas: “Prata da Casa” para o canal Fox Direção André Pellenz
“171 Negócio de Família” Direção Roberto d’Avila, Michael Ruman e Marc Bechar.
Também integrou o elenco da novela “Sete Vidas” (2015) – Rede Globo.

Histórico

TELEVISÃO

– 2018/19 – “Assédio” – Rede Globo – Direção Amora Mautner
– 2017 – “Prata da Casa” – Fox – Direção André Pellenz
– 2017 – “171 Negócio de Família” – Universal – Direção Roberto d’Avila, Michael Ruman e Marc Bechar
– 2015 – “Sete Vidas” – Rede Globo – Direção Jayme Monjardim
– 2015 – “Os Experientes” – Rede Globo – Direção Fernando Meirelles
– 2015 – “Felizes Para Sempre?” – Rede Globo – Direção Fernando Meirelles
– 2013 – “As Canalhas” – GNT – Direção Vicente Amorim
– 2010 – “Alice Especial” – HBO – Direção Karim Ainouz e Sérgio Machado
– 2010 – “Bipolar” – Canal Brasil – Direção Edu Felistoque
– 2009 – “Tudo novo de novo” – Rede Globo – Direção Flavia Lacerda, Natalia Grimberg e Allan Fiterman
– 2008 – “Diadorim e Riobaldo” Rede Record – Direção Willy Biondani
– 2008/2007 – “Alice” – HBO – Direção Karim Ainouz e Sérgio Machado

 

CINEMA

– 2020 – “Modo Avião” – Direção César Rodrigues – NETFLIX
– 2018 – “Cano Serrado” – Direção Erik de Castro
– 2017 – “Depois de Ser Cinza” – Direção Eduardo Wannmacher (em fase de finalização)
– 2017 – “Gosto se Discute” – Direção André Pellenz
– 2014 – “O Gorila” – Direção José Eduardo Belmonte
– 2013 – “O Homem Das Multidões” – Direção Cao Guimarães e Marcelo Gomes
– 2011 – “AMOR?” – Direção João Jardim
– 2009 – “As Doze Estrelas” – Direção Luiz Alberto Pereira
– 2009 – “Quanto dura o Amor?” – Direção Roberto Moreira
– 2006 – “Não por Acaso” – Direção Philippe Barsinsky
– 2005 – “O Cheiro do Ralo” – Direção Heitor Dhália
– 2005 – “Querô” – Direção Carlos Cortez
– 2004 – “Contra Todos” – Direção Roberto Moreira

 

TEATRO

– 2019 “Acridoce” – Dirigida por Luh Maza
– 2017 “A Cicatriz é a Flor” – Dirigida por Georgette Fadel
– 2015 – “As Meninas” – Dirigida por Yara de Novaes
– 2013/2012 – “Véspera”, texto de Camila Appel dirigida por Hudson Sena
– 2011/2010 – “A Pantera”, texto inédito de Camila Appel dirigida por Luiz Montes
– 2010/2009 – ” As meninas” – Adaptação teatral de Maria Adelaide Amaral para o romance de Ligya Fagundes Telles, com direção de Yara de Novaes
– 2006/2005 – “Essa nossa juventude”, de Kenneth Lonergan dirigida por Lais Bodansky e produzida por Maria Luiza Mendonça
– 2004/2002 – “Pequenas histórias que à história não contam e Caleidoscópio”, dirigida por Luiz Carlos Moreira do grupo Engenho Teatral
– 2001/1998 – Atuou, escreveu e dirigiu suas cenas do projeto “Prêat à – Porter 1, 2 e 3” – Coordenado por Antunes Filho
– 1995 – Estreou no teatro profissionalmente com a peça “E aqui estamos”, coletânea de crônicas da autora americana Dorothy Parker, dirigida por Guilherme Kwasinsky

Aptidões

■ Dança moderna e contemporânea

Prêmios

Melhor atriz no Festival de Trieste, por Contra Todos
Melhor atriz coadjuvante no Festival Cartagena, por Contra Todos
Melhor atriz no Festival do Rio, por Contra Todos
Melhor atriz no Festival do Pará, por Contra Todos
Melhor atriz de cinema Prêmio APCA, por Contra Todos
Melhor atriz de cinema Prêmio Sesc Melhores do Ano
Melhor atriz coadjuvante pela Academia Brasileira de Cinema por "O Cheiro do Ralo"
Melhor atriz no Festival de Cinema de Paulínia por "Quanto dura o amor?"

Locuções

Elementor #603

Silvia Lourenço

Altura: 1.60m
Faixa etária:
Idiomas: Inglês - Fluente • Francês - Básico • Espanhol - Básico

Release

Sílvia Lourenço é atriz e roteirista. Estudou Letras na USP, Artes Cênicas no Teatro-Escola Célia Helena e trabalhou por quatro anos no Centro de Pesquisa Teatral, dirigido por Antunes Filho, atuando e escrevendo cenas das três primeiras edições do projeto Prêat-à-Porter. Outras peças destacam-se em sua trajetória, tais como: “Essa Nossa Juventude”, dirigida por Laís Bodansky, “A Pantera”, dirigida por Marco Antônio Brás e “As Meninas”, dirigida por Yara de Novaes.
Estreou no cinema como protagonista do longa metragem “Contra Todos”, de Roberto Moreira, trabalho pelo qual ganhou mais de dez prêmios nacionais e internacionais, incluindo APCA e Festival do Rio. Também teve sua atuação reconhecida em “O Cheiro do Ralo” dirigido por Heitor Dhália, pelo qual ganhou o prêmio de melhor atriz da Academia Brasileira De Cinema em 2005.
Outros filmes vieram, como: “Cano Serrado” Direção Erik de Castro, “Depois de Ser Cinza” Direção Eduardo Wannmacher e “Gosto se Discute” Direção André Pellenz.
Seus mais recentes trabalhos foram “Modo Avião” (2020), dirigido por César Rodrigues para o canal Netflix e a série “Assédio” (2018) Globo Play.
Na televisão atuou em diversas séries, entre elas: “Prata da Casa” para o canal Fox Direção André Pellenz
“171 Negócio de Família” Direção Roberto d’Avila, Michael Ruman e Marc Bechar.
Também integrou o elenco da novela “Sete Vidas” (2015) – Rede Globo.

Histórico

TELEVISÃO

– 2018/19 – “Assédio” – Rede Globo – Direção Amora Mautner
– 2017 – “Prata da Casa” – Fox – Direção André Pellenz
– 2017 – “171 Negócio de Família” – Universal – Direção Roberto d’Avila, Michael Ruman e Marc Bechar
– 2015 – “Sete Vidas” – Rede Globo – Direção Jayme Monjardim
– 2015 – “Os Experientes” – Rede Globo – Direção Fernando Meirelles
– 2015 – “Felizes Para Sempre?” – Rede Globo – Direção Fernando Meirelles
– 2013 – “As Canalhas” – GNT – Direção Vicente Amorim
– 2010 – “Alice Especial” – HBO – Direção Karim Ainouz e Sérgio Machado
– 2010 – “Bipolar” – Canal Brasil – Direção Edu Felistoque
– 2009 – “Tudo novo de novo” – Rede Globo – Direção Flavia Lacerda, Natalia Grimberg e Allan Fiterman
– 2008 – “Diadorim e Riobaldo” Rede Record – Direção Willy Biondani
– 2008/2007 – “Alice” – HBO – Direção Karim Ainouz e Sérgio Machado

 

CINEMA

– 2020 – “Modo Avião” – Direção César Rodrigues – NETFLIX
– 2018 – “Cano Serrado” – Direção Erik de Castro
– 2017 – “Depois de Ser Cinza” – Direção Eduardo Wannmacher (em fase de finalização)
– 2017 – “Gosto se Discute” – Direção André Pellenz
– 2014 – “O Gorila” – Direção José Eduardo Belmonte
– 2013 – “O Homem Das Multidões” – Direção Cao Guimarães e Marcelo Gomes
– 2011 – “AMOR?” – Direção João Jardim
– 2009 – “As Doze Estrelas” – Direção Luiz Alberto Pereira
– 2009 – “Quanto dura o Amor?” – Direção Roberto Moreira
– 2006 – “Não por Acaso” – Direção Philippe Barsinsky
– 2005 – “O Cheiro do Ralo” – Direção Heitor Dhália
– 2005 – “Querô” – Direção Carlos Cortez
– 2004 – “Contra Todos” – Direção Roberto Moreira

 

TEATRO

– 2019 “Acridoce” – Dirigida por Luh Maza
– 2017 “A Cicatriz é a Flor” – Dirigida por Georgette Fadel
– 2015 – “As Meninas” – Dirigida por Yara de Novaes
– 2013/2012 – “Véspera”, texto de Camila Appel dirigida por Hudson Sena
– 2011/2010 – “A Pantera”, texto inédito de Camila Appel dirigida por Luiz Montes
– 2010/2009 – ” As meninas” – Adaptação teatral de Maria Adelaide Amaral para o romance de Ligya Fagundes Telles, com direção de Yara de Novaes
– 2006/2005 – “Essa nossa juventude”, de Kenneth Lonergan dirigida por Lais Bodansky e produzida por Maria Luiza Mendonça
– 2004/2002 – “Pequenas histórias que à história não contam e Caleidoscópio”, dirigida por Luiz Carlos Moreira do grupo Engenho Teatral
– 2001/1998 – Atuou, escreveu e dirigiu suas cenas do projeto “Prêat à – Porter 1, 2 e 3” – Coordenado por Antunes Filho
– 1995 – Estreou no teatro profissionalmente com a peça “E aqui estamos”, coletânea de crônicas da autora americana Dorothy Parker, dirigida por Guilherme Kwasinsky

Aptidões:

> Dança moderna e contemporânea
Prêmios:

• Melhor atriz no Festival de Trieste, por Contra Todos

• Melhor atriz coadjuvante no Festival Cartagena, por Contra Todos

• Melhor atriz no Festival do Rio, por Contra Todos

• Melhor atriz no Festival do Pará, por Contra Todos

• Melhor atriz de cinema Prêmio APCA, por Contra Todos

• Melhor atriz de cinema Prêmio Sesc Melhores do Ano

• Melhor atriz coadjuvante pela Academia Brasileira de Cinema por "O Cheiro do Ralo"

• Melhor atriz no Festival de Cinema de Paulínia por "Quanto dura o amor?"