Grupo(s): Atores

Miriam Rinaldi

Idiomas: Português - Fluente
Faixa Etária: acima de 50 anos
Gênero: Feminino
Altura: 1.59m

Release

Formada pela Escola de Arte Dramática/USP (1987), graduada em Educação Artística com Habilitação em Teatro pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista UNESP (2001). Mestrado e Doutorado em Artes pela Escola de Comunicações e Artes/USP (2006 e 2016).

 

Foi professora do Departamento de Linguagens do Corpo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC/SP de 2001 a 2018, onde ministrou as disciplinas de Técnica de Ator, Improvisação, Laboratórios de Corpo e Orientação de Projeto de Cena (TCC).

 

Pertenceu ao grupo Teatro da Vertigem de 1996 a 2008 tendo participado da criação e montagem dos seguintes espetáculos: O Livro de Jó (1995), Apocalipse 1,11 (1999), O Paraíso Perdido (2002, por ocasião da remontagem da “Trilogia Bíblica”, comemoração dos 10 anos do grupo); a ópera Dido e Eneas (2008) e A Última Palavra é a Penúltima, (2008) e A Última Palavra é a Penúltima 2.0, (2014).

 

Viveu em Nova Iorque de 2004 a 2007. Lá realizou alguns workshops com Anne Bogart (Viewpoints – SITI Co.), Mary Overlie (Viewpoints – TISCH School), Lenard Petit (MICHA -The Michael Chekhov Association – Massachusetts University), dentre outros.  De volta para o Brasil, formou um grupo de estudos sobre o sistema de improvisação dos Viewpoints, trabalhou como preparadora corporal, ministrou oficinas que tinham a técnica como tema, experiências que culminaram com a tese de doutorado “Viewpoints: Teoria e Prática”, orientada elo Professor Jacó Guinsburg.

 

Trabalhou na coordenação artístico-pedagógico dos programas: Teatro Vocacional (por ocasião da implantação do programa, como assistente de Maria Tendlau entre 2001-2003), Ademar Guerra (atual Programa de Qualificação em Artes, atuando como coordenadora regional e, posteriormente, como coordenadora pedagógica, 2009-2010) e também na coordenação técnica e artístico-pedagógica dos Núcleos de Artes Cênicas do SESI-SP (NACs), distribuídos nos 19 teatros da entidade, espalhados pelo interior e Grande São Paulo, do Núcleo Experimental Artes Cênicas e Núcleo de Dramaturgia, ambos no prédio da Avenida Paulista.

 

Como supervisora de programas culturais em artes cênicas do SESI-SP, cargo que assumiu entre 2014 a 2020, também desenvolveu editais de produção de espetáculos inéditos e não-inéditos, capital e interior, bem como seus processos de seleção, projetou a programação cultural dos teatros (capital e interior), articulou importantes parcerias tais como a  MIT (Mostra Internacional de Teatro, entre 2018 a 2020), MICBR (Mercado das Indústrias Criativas do Brasil, 2018), dentre outras ações.

 

Histórico

FORMAÇÃO ACADÊMICA

 

  • Doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes de São Paulo, USP, orientação do Prof. Jacó Guinsburg, Viewpoints: Teoria e Prática, 2016.
  • Mestre em Artes pela Escola de Comunicações e Artes de São Paulo, USP, 2006, orientação da Profa. Silvia Telles Fernandes: O ator do Vertigem: o processo de criação de Apocalipse 1,11.
  • Licenciatura Plena em Educação Artística – Habilitação em Artes Cênicas – Universidade Estadual Paulista – Instituto de Artes – IA/UNESP, 2000.
  • Escola de Arte Dramática – Escola de Comunicação e Artes de São Paulo – EAD/ECA/USP, 1989.

 

ATIVIDADE DE PESQUISA

 

  • Formação e líder do grupo de estudos práticos na Técnica de Viewpoints com os atores: Cristina Lozano, Emerson Rossini, Cristina Rocha, Camila Venturelli, Joaquim Lino e Priscila Jorge – PUC/SP, de 2008 a 2011.
  • Acompanhamento do curso ministrado por Richard Schechner na Tisch School of the Arts, Performance Studies, Universidade de Nova Iorque, 2006 (1 semestre).
  • Acompanhamento das aulas da coreógrafa Mary Overlie na Tisch School, Institute of Performing Arts – Experimental Theater Wing, Universidade de Nova Iorque, 2007 (1 semestre).
  • Acompanhamento das aulas máscaras de Mira Felner, Mask, no curso de Licenciatura em Artes Cênica da Hunter College, Nova Iorque, 2007 (1 semestre)
  • Viewpoints II intensive course, Com SITI Company, Nova Iorque, novembro de 2006 (35 h/a).
  • Scene Study Workshop, com Irene Moore, Universidade de Nova Iorque, maio/ junho de 2006 (30 h/a).
  • Michael Chekhov Technique, com a MICHA (Michel Chekhov Association). Coordenação de Joanna Merlin, Ted Pugh, Ragnar Freidank e Lenard Petit, Universidade de Massachusetts, 2006, (72 h/a).
  • Viewpoints I intensive course, com a SITI Company, Nova Iorque, março de 2005. (35 h/a).
  • Action Theater, com Ruth Zaporah, Nova Iorque, abril de 2005 (8 h/a).

 

ATIVIDADE ARTÍSTICA– ATRIZ

 

  • Uma Espécie de Alasca, de Harold Pinter, direção de Gabriel Fontes Paiva, ao lado dos atores Yara de Novaes e Jorge Emil. Projeto premiado pelo 19º Cultura Inglesa Festival, 2015. Realizou apresentações no Itaú Cultural em 5 e 6 de abril de 2016; no Teatro Caixa Cultural Rio de Janeiro de 30/11 a 17/12 de 2017; no Teatro Caixa Cultural Brasília 21 a 23 de setembro de 2018 e no Teatro Caixa Cultural Curitiba de 28 a 30 de setembro de 2018.
  • Fim de Partida, de Samuel Beckett, direção de Eric Lenate, ao lado dos atores Ricardo Grasson e Rubens Caribé. Temporada no SESC Pinheiros e na Escola SP de Teatro, 2016.
  • A Última Palavra é a Penúltima 2.0, intervenção urbana na passagem subterrânea para pedestres na Rua Xavier de Toledo. Teatro da Vertigem, direção Antônio Araújo e Eliana Monteiro. Evento realizado pela 31ª. Bienal de São Paulo, 2014.
  • Atriz convidada participar do espetáculo Um Carvalho, de Tim Crouch, direção Rodrigo Batista e membros do PH2 Estado de Teatro, SESC Belenzinho 2013.
  • !SALTA!, texto de Verônica Stigger, direção de Verônica Veloso com Coletivo  Dodecafônico; prêmio de Fomento ao Teatro 2012, Temporada SESC Santo Amaro e TUSP, 2013.
  • Integrante, de 1994 a 2004, do Teatro da Vertigem. Participa da criação dos espetáculos O Livro de Jó (1995) e Apocalipse 1,11 (1999). Participou da remontagem de O Paraíso Perdido por ocasião da comemoração de dez anos do grupo. Esses espetáculos excursionam por diversos festivais, destacando: International Theater Festival Dialog (Wroclaw, 2003), Theater der Welt (Köln 2002), Meetings Acarte (Lisbon – 2000), III International Theater Festival Anton Chekhov (Moscow – 1998), XIII International Festival of Theater (Caracas – 2001) e Aarhus Festival of Arts (Denmark -1997).
  • A Última Palavra é a Penúltima, intervenção urbana em parceria com o Teatro da Vertigem (SP), grupo Zikzira (MG/UK) e LOT (Peru), 2008. Baseado no texto “O Esgotado” de Gilles Deleuze.
  • Dido e Enéas, ópera de Henry Purcell regida por Tiago Pinheiro, projeto a convite de Jamil Maluf em comemoração a inauguração da nova central produção de cenários e figurinos do Teatro Municipal, 2008.

 

ATIVIDADE ARTÍSTICA – DIREÇÃO

 

  • Leitura encenada da peça Ghetto, texto inédito do autor israelense Joshua Sobol. I Bienal Internacional de Teatro do TUSP, 2013.
  • Dissidente, de Michel Vinaver, tradução de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald com os atores Cácia Goulart e José Geraldo Rodrigues, premio PROAC, temporadas SESC Consolação e Comune, 2010.
  • Assistente de direção e preparadora corporal do espetáculo A Mulher que Ri, direção de Yara de Novaes.
  • Cacos de Vidro no Jardim Molhado, pesquisa realizada em processo colaborativo com a Cia. 3X4, temporada de 8 meses, 2003.
  • A Valsa, trabalho extracurricular, resultado da pesquisa de Iniciação Científica: O ator como dramaturgo – a importância da Improvisação no processo criativo de Pina Bausch, 1999.
  • Osvaldo e Zenaide, de Jean Tardieu, espetáculo extracurricular realizado com alunos graduandos da UNESP, 1998.
  • Assistente de direção de Sérgio de Carvalho no espetáculo Passos em Volta, ECA/USP, 1992.

 

ATIVIDADE PEDAGÓGICA

 

  • Professora do Curso de Comunicação das Artes do Corpo PUC/SP de 2002 A 2018, onde ministrou aulas de Interpretação, Improvisação e Orientação Projeto de Conclusão de Curso. Como orientadora, dirigiu os trabalhos CTRL+Z ou 220 Lâmpadas de 1 Watt, Céu na Terra, Zona 5 e Eu Vou me Amar em você este último participando da Mostra TUSP de Teatro Universitário em 2013.
  • Coordenadora do Núcleo Experimental De Artes Cênicas do SESI, onde desenvolveu o projeto “Graus da Representação: a personagem, o narrador, a persona”, de 2013 a 2015. Nesse programa, foram produzidos os seguintes espetáculos com os alunos: 52 Hertz e Vermelho-Céu, ambos com direção de Marcelo Lazzaratto (2013); Tudo o Mais Permanece o Mesmo e E Eles Eram Eles Mesmos?, ambos com a Direção de Francisco Medeiros (2014), Bruto, direção de Luiz Fernando Marques (2015); Tiros em Osasco, direção de Yara de Novaes (2016, com a turma de 2015).
  • Direção do espetáculo Um Casamento Perfeito, texto inédito de Charles Mee com alunos da turma 61 da Escola de Arte Dramática, EAD/USP, 2011.
  • Coordenadora Pedagógica do Projeto Ademar Guerra, Secretaria do Estado da Cultura em 2010. Participou como coordenadora Regional do mesmo Projeto durante o ano de 2009.

 

PUBLICAÇÃO

 

  • Artigo O ator do Teatro da Vertigem (pp.29-39), in Teatro da Vertigem, organização Sílvia Fernandes, Rio de Janeiro, Ed. Cobogó, 2018.
  • Artigo Apontamentos sobre a técnica dos Viewpoints em exposição prática. REBENTO Revista de Artes do Espetáculo/ IA/UNESP, 2013.

 

PARTICIPAÇÃO EM BANCA DE COMISSÃO JULGADORA:

 

  • Parecerista credenciada da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, São José dos Campos.
  • Edital 24/2020 AMC/CFOC/SFA, 1ª. Edição do Premio Aldir Blanc de Apoio à Cultura da Cidade de São Paulo.
  • Edital PROAC No. 02/2019 – Circulação de espetáculo de Teatro;
  • Edital PROAC No. 07/2017 – Produção de Espetáculo Inédito de artes cênicas para público infantil;
  • Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, 2010;

 

Prêmios

2000 - Prêmio Shell na categoria especial ao Teatro da Vertigem pela pesquisa de linguagem cênica e dramatúrgica, SHELL.
1998 - Prêmio Flávio Rangel para a pesquisa de linguagem - Apocalipse 1,11, Ministério da Cultura / FUNARTE.
1996 - Prêmio Shell na categoria melhor espetáculo - O Livro de Jó, SHELL.
1996 - Prêmio APCA na categoria melhor espetáculo - O Livro de Jó, Associação Paulista de Críticos de Arte.
1996 - Prêmio Mambembe - categoria melhor espetáculo - O Livro de Jó, Ministério da Cultura.
1996 - Prêmio Apetesp na categoria melhor espetáculo - O Livro de Jó, Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo - APETESP.
1994 - Prêmio Estímulo Flávio Rangel - para espetáculos teatrais em espaços não convencionais, Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

Links

Elementor #603

Miriam Rinaldi

Altura: 1.59m
Error: the field format must contains "%s" or "%1$s".
Idiomas: Português - Fluente

Release

Formada pela Escola de Arte Dramática/USP (1987), graduada em Educação Artística com Habilitação em Teatro pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista UNESP (2001). Mestrado e Doutorado em Artes pela Escola de Comunicações e Artes/USP (2006 e 2016).

 

Foi professora do Departamento de Linguagens do Corpo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC/SP de 2001 a 2018, onde ministrou as disciplinas de Técnica de Ator, Improvisação, Laboratórios de Corpo e Orientação de Projeto de Cena (TCC).

 

Pertenceu ao grupo Teatro da Vertigem de 1996 a 2008 tendo participado da criação e montagem dos seguintes espetáculos: O Livro de Jó (1995), Apocalipse 1,11 (1999), O Paraíso Perdido (2002, por ocasião da remontagem da “Trilogia Bíblica”, comemoração dos 10 anos do grupo); a ópera Dido e Eneas (2008) e A Última Palavra é a Penúltima, (2008) e A Última Palavra é a Penúltima 2.0, (2014).

 

Viveu em Nova Iorque de 2004 a 2007. Lá realizou alguns workshops com Anne Bogart (Viewpoints – SITI Co.), Mary Overlie (Viewpoints – TISCH School), Lenard Petit (MICHA -The Michael Chekhov Association – Massachusetts University), dentre outros.  De volta para o Brasil, formou um grupo de estudos sobre o sistema de improvisação dos Viewpoints, trabalhou como preparadora corporal, ministrou oficinas que tinham a técnica como tema, experiências que culminaram com a tese de doutorado “Viewpoints: Teoria e Prática”, orientada elo Professor Jacó Guinsburg.

 

Trabalhou na coordenação artístico-pedagógico dos programas: Teatro Vocacional (por ocasião da implantação do programa, como assistente de Maria Tendlau entre 2001-2003), Ademar Guerra (atual Programa de Qualificação em Artes, atuando como coordenadora regional e, posteriormente, como coordenadora pedagógica, 2009-2010) e também na coordenação técnica e artístico-pedagógica dos Núcleos de Artes Cênicas do SESI-SP (NACs), distribuídos nos 19 teatros da entidade, espalhados pelo interior e Grande São Paulo, do Núcleo Experimental Artes Cênicas e Núcleo de Dramaturgia, ambos no prédio da Avenida Paulista.

 

Como supervisora de programas culturais em artes cênicas do SESI-SP, cargo que assumiu entre 2014 a 2020, também desenvolveu editais de produção de espetáculos inéditos e não-inéditos, capital e interior, bem como seus processos de seleção, projetou a programação cultural dos teatros (capital e interior), articulou importantes parcerias tais como a  MIT (Mostra Internacional de Teatro, entre 2018 a 2020), MICBR (Mercado das Indústrias Criativas do Brasil, 2018), dentre outras ações.

 

Histórico

FORMAÇÃO ACADÊMICA

 

  • Doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes de São Paulo, USP, orientação do Prof. Jacó Guinsburg, Viewpoints: Teoria e Prática, 2016.
  • Mestre em Artes pela Escola de Comunicações e Artes de São Paulo, USP, 2006, orientação da Profa. Silvia Telles Fernandes: O ator do Vertigem: o processo de criação de Apocalipse 1,11.
  • Licenciatura Plena em Educação Artística – Habilitação em Artes Cênicas – Universidade Estadual Paulista – Instituto de Artes – IA/UNESP, 2000.
  • Escola de Arte Dramática – Escola de Comunicação e Artes de São Paulo – EAD/ECA/USP, 1989.

 

ATIVIDADE DE PESQUISA

 

  • Formação e líder do grupo de estudos práticos na Técnica de Viewpoints com os atores: Cristina Lozano, Emerson Rossini, Cristina Rocha, Camila Venturelli, Joaquim Lino e Priscila Jorge – PUC/SP, de 2008 a 2011.
  • Acompanhamento do curso ministrado por Richard Schechner na Tisch School of the Arts, Performance Studies, Universidade de Nova Iorque, 2006 (1 semestre).
  • Acompanhamento das aulas da coreógrafa Mary Overlie na Tisch School, Institute of Performing Arts – Experimental Theater Wing, Universidade de Nova Iorque, 2007 (1 semestre).
  • Acompanhamento das aulas máscaras de Mira Felner, Mask, no curso de Licenciatura em Artes Cênica da Hunter College, Nova Iorque, 2007 (1 semestre)
  • Viewpoints II intensive course, Com SITI Company, Nova Iorque, novembro de 2006 (35 h/a).
  • Scene Study Workshop, com Irene Moore, Universidade de Nova Iorque, maio/ junho de 2006 (30 h/a).
  • Michael Chekhov Technique, com a MICHA (Michel Chekhov Association). Coordenação de Joanna Merlin, Ted Pugh, Ragnar Freidank e Lenard Petit, Universidade de Massachusetts, 2006, (72 h/a).
  • Viewpoints I intensive course, com a SITI Company, Nova Iorque, março de 2005. (35 h/a).
  • Action Theater, com Ruth Zaporah, Nova Iorque, abril de 2005 (8 h/a).

 

ATIVIDADE ARTÍSTICA– ATRIZ

 

  • Uma Espécie de Alasca, de Harold Pinter, direção de Gabriel Fontes Paiva, ao lado dos atores Yara de Novaes e Jorge Emil. Projeto premiado pelo 19º Cultura Inglesa Festival, 2015. Realizou apresentações no Itaú Cultural em 5 e 6 de abril de 2016; no Teatro Caixa Cultural Rio de Janeiro de 30/11 a 17/12 de 2017; no Teatro Caixa Cultural Brasília 21 a 23 de setembro de 2018 e no Teatro Caixa Cultural Curitiba de 28 a 30 de setembro de 2018.
  • Fim de Partida, de Samuel Beckett, direção de Eric Lenate, ao lado dos atores Ricardo Grasson e Rubens Caribé. Temporada no SESC Pinheiros e na Escola SP de Teatro, 2016.
  • A Última Palavra é a Penúltima 2.0, intervenção urbana na passagem subterrânea para pedestres na Rua Xavier de Toledo. Teatro da Vertigem, direção Antônio Araújo e Eliana Monteiro. Evento realizado pela 31ª. Bienal de São Paulo, 2014.
  • Atriz convidada participar do espetáculo Um Carvalho, de Tim Crouch, direção Rodrigo Batista e membros do PH2 Estado de Teatro, SESC Belenzinho 2013.
  • !SALTA!, texto de Verônica Stigger, direção de Verônica Veloso com Coletivo  Dodecafônico; prêmio de Fomento ao Teatro 2012, Temporada SESC Santo Amaro e TUSP, 2013.
  • Integrante, de 1994 a 2004, do Teatro da Vertigem. Participa da criação dos espetáculos O Livro de Jó (1995) e Apocalipse 1,11 (1999). Participou da remontagem de O Paraíso Perdido por ocasião da comemoração de dez anos do grupo. Esses espetáculos excursionam por diversos festivais, destacando: International Theater Festival Dialog (Wroclaw, 2003), Theater der Welt (Köln 2002), Meetings Acarte (Lisbon – 2000), III International Theater Festival Anton Chekhov (Moscow – 1998), XIII International Festival of Theater (Caracas – 2001) e Aarhus Festival of Arts (Denmark -1997).
  • A Última Palavra é a Penúltima, intervenção urbana em parceria com o Teatro da Vertigem (SP), grupo Zikzira (MG/UK) e LOT (Peru), 2008. Baseado no texto “O Esgotado” de Gilles Deleuze.
  • Dido e Enéas, ópera de Henry Purcell regida por Tiago Pinheiro, projeto a convite de Jamil Maluf em comemoração a inauguração da nova central produção de cenários e figurinos do Teatro Municipal, 2008.

 

ATIVIDADE ARTÍSTICA – DIREÇÃO

 

  • Leitura encenada da peça Ghetto, texto inédito do autor israelense Joshua Sobol. I Bienal Internacional de Teatro do TUSP, 2013.
  • Dissidente, de Michel Vinaver, tradução de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald com os atores Cácia Goulart e José Geraldo Rodrigues, premio PROAC, temporadas SESC Consolação e Comune, 2010.
  • Assistente de direção e preparadora corporal do espetáculo A Mulher que Ri, direção de Yara de Novaes.
  • Cacos de Vidro no Jardim Molhado, pesquisa realizada em processo colaborativo com a Cia. 3X4, temporada de 8 meses, 2003.
  • A Valsa, trabalho extracurricular, resultado da pesquisa de Iniciação Científica: O ator como dramaturgo – a importância da Improvisação no processo criativo de Pina Bausch, 1999.
  • Osvaldo e Zenaide, de Jean Tardieu, espetáculo extracurricular realizado com alunos graduandos da UNESP, 1998.
  • Assistente de direção de Sérgio de Carvalho no espetáculo Passos em Volta, ECA/USP, 1992.

 

ATIVIDADE PEDAGÓGICA

 

  • Professora do Curso de Comunicação das Artes do Corpo PUC/SP de 2002 A 2018, onde ministrou aulas de Interpretação, Improvisação e Orientação Projeto de Conclusão de Curso. Como orientadora, dirigiu os trabalhos CTRL+Z ou 220 Lâmpadas de 1 Watt, Céu na Terra, Zona 5 e Eu Vou me Amar em você este último participando da Mostra TUSP de Teatro Universitário em 2013.
  • Coordenadora do Núcleo Experimental De Artes Cênicas do SESI, onde desenvolveu o projeto “Graus da Representação: a personagem, o narrador, a persona”, de 2013 a 2015. Nesse programa, foram produzidos os seguintes espetáculos com os alunos: 52 Hertz e Vermelho-Céu, ambos com direção de Marcelo Lazzaratto (2013); Tudo o Mais Permanece o Mesmo e E Eles Eram Eles Mesmos?, ambos com a Direção de Francisco Medeiros (2014), Bruto, direção de Luiz Fernando Marques (2015); Tiros em Osasco, direção de Yara de Novaes (2016, com a turma de 2015).
  • Direção do espetáculo Um Casamento Perfeito, texto inédito de Charles Mee com alunos da turma 61 da Escola de Arte Dramática, EAD/USP, 2011.
  • Coordenadora Pedagógica do Projeto Ademar Guerra, Secretaria do Estado da Cultura em 2010. Participou como coordenadora Regional do mesmo Projeto durante o ano de 2009.

 

PUBLICAÇÃO

 

  • Artigo O ator do Teatro da Vertigem (pp.29-39), in Teatro da Vertigem, organização Sílvia Fernandes, Rio de Janeiro, Ed. Cobogó, 2018.
  • Artigo Apontamentos sobre a técnica dos Viewpoints em exposição prática. REBENTO Revista de Artes do Espetáculo/ IA/UNESP, 2013.

 

PARTICIPAÇÃO EM BANCA DE COMISSÃO JULGADORA:

 

  • Parecerista credenciada da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, São José dos Campos.
  • Edital 24/2020 AMC/CFOC/SFA, 1ª. Edição do Premio Aldir Blanc de Apoio à Cultura da Cidade de São Paulo.
  • Edital PROAC No. 02/2019 – Circulação de espetáculo de Teatro;
  • Edital PROAC No. 07/2017 – Produção de Espetáculo Inédito de artes cênicas para público infantil;
  • Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, 2010;

 

Prêmios:

• 2000 - Prêmio Shell na categoria especial ao Teatro da Vertigem pela pesquisa de linguagem cênica e dramatúrgica, SHELL.

• 1998 - Prêmio Flávio Rangel para a pesquisa de linguagem - Apocalipse 1,11, Ministério da Cultura / FUNARTE.

• 1996 - Prêmio Shell na categoria melhor espetáculo - O Livro de Jó, SHELL.

• 1996 - Prêmio APCA na categoria melhor espetáculo - O Livro de Jó, Associação Paulista de Críticos de Arte.

• 1996 - Prêmio Mambembe - categoria melhor espetáculo - O Livro de Jó, Ministério da Cultura.

• 1996 - Prêmio Apetesp na categoria melhor espetáculo - O Livro de Jó, Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo - APETESP.

• 1994 - Prêmio Estímulo Flávio Rangel - para espetáculos teatrais em espaços não convencionais, Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

Compartilhe:

Outros artistas relacionados

Todos os direitos reservados à VGI Agentes® Dev. by Pompz Artes