Grupo(s): Atores

Virgínia Buckowski

Faixa Etária: 41 a 50 anos
Gênero: Feminino
Altura: 1.65m

Release

    • Uma das fundadoras da Velha Companhia. Além de atriz, faz a idealização e produção dos projetos, ao lado de Kiko Marques e Alejandra Sampaio. Companhia de Teatro de São Paulo, que tem 19 anos de história e diversos prêmios em seu currículo. Casa Submersa, espetáculo mais recente da companhia, lhe rendeu indicação ao prêmio Shell de melhor atriz de 2019. 

     

    • Está na segunda temporada da série Desalma, da Globoplay,  que estreou em abril de 2022É sua estreia em série, no papel da investigadora Natasha Wolonski.

     

    • É protagonista da audiossérie Casa Submersa, que estreou em maio de 2002 e está no Spotify. Interpreta a bióloga Maíra.

     

    • Atuou na peça sucesso de público e crítica, Um bonde Chamado Desejo, com direção de Rafael Gomes. Personagem Stella. A peça fez longa temporada em SP e depois RJ em 2018.

     

    • Protagonizou o filme “A mulher que não sabia de si” de Daniela Smith. Está percorrendo vários festivais de cinema de curta-metragem.

     

    • Espetáculos CAIS ou Da Indiferença das Embarcações e Sínthia, da Velha Companhia, ficaram anos em cartaz, e lhe renderem diversas indicações a prêmios de atriz: Qualidade Brasil, Aplauso Brasil, Cenym e festivais.

     

    • Atuou por quatro anos nas montagens teatrais de: A Alma Boa de Setsuan e Sem Pensar, ao lado da atriz Denise Fraga,  percorrendo diversas cidades do país.

     

    • Ay, Carmela! texto do conceituado autor espanhol José Sanchis Sinisterra, lhe rendeu prêmio de melhor atriz de 2008, no Qualidade Brasil. O autor veio até o Brasil assistir ao espetáculo.

     

    • Atuou em episódios do projeto “Direções” da TV Cultura, sob direção de Maucir Campanholi e fez várias participações no programa “Retrato Falado” na Tv Globo. Mothern, direção de Pedro Amorin – GNT. Colégio Brasil, novela do SBT. Direção de Roberto Talma.

     

    • No cinema participou do longa-metragem “De Onde eu te Vejo” com direção de Luís Vilaça e “Sonhos Tropicais” de André Sturm, além dos curtas “Ardil” de João Carlos Lemos, “Três Minutos de Imponderabilidade” de Élcio Verçosa e “O Papel da Dobras” de Bruno Jorge.

     

    • No espetáculo O Travesseiro foi indicada ao Prêmio Coca Cola de melhor atriz de 2010.

     

    • Atuou em vários espetáculos, sendo dirigida por Antônio Abujamra, Ariela Goldman, Marco Antônio Braz, José Sanchis Sinisterra, William Pereira, entre outros.

     

    • Fez parte do conceituado grupo Círculo dos Comediantes, dirigido por Marco Antônio Braz, nos anos 90, com foco nas montagens da obra de Nelson Rodrigues. Sua estreia profissional foi em 1994, na peça Perdoa-me, por me Traíres, que ficou cinco anos em cartaz. Permaneceu vários anos no grupo, onde fez sua primeira protagonista: Selminha, de O Beijo no Asfalto.

     

    • Protagonizou algumas campanhas publicitárias: Boticário, Sazon, Banco Meridional, etc.

     

    • Trabalhou em projetos sociais como Artista Orientadora, nas periferias de Guarulhos e Perus, no Projeto de Teatro Vocacional e Projeto Processos Educativos através do Teatro.

Histórico

Formação: formada pelo INDAC – Instituto de Arte e Ciência.

– 2003: Uma das fundadoras da Velha Companhia (premiada companhia de teatro de São Paulo), cujo os últimos trabalhos foram “Cais ou Da Indiferença das Embarcações”, “Sinthía” e “Casa Submersa”)

– 1994 a 2003: Participou por nove anos do Grupo Círculo dos Comediantes, dirigido por Marco Antônio Braz, e que tinha como pesquisa e repertório as peças de Nelson Rodrigues. Sua estreia profissional foi na peça “Perdoa-me, por me Traíres”.

TEATRO

2019: “CASA SUBMERSA texto e direção de Kiko Marques. Está indicada ao Prêmio Shell de melhor atriz 2019.  Com a Velha Companhia. Sesc Pompeia e Núcleo Experimental. Indicada ao prêmio shell de melhor atriz 2019.  

2016: “SÍNTHIA” texto e direção de Kiko Marques. Com a Velha Companhia. No Espaço dos Fofos. Indicação de melhor atriz coadjuvante no prêmio Aplauso Brasil 2016 e no prêmio Cenym 2017.  

2015/16: “Um Bonde Chamado Desejo” de Tenessee Willians. Direção Rafael Gomes. No Tuca Arena e Teatro XP Investimentos no Rj.  

2012/13/14/15/16: “Cais ou Da Indiferença das Embarcações”, texto e direção de Kiko Marques. Com Velha Companhia no Teatro Capobianco.

2011/12: “Sem Pensar” de Anya Reis, direção de Luís Vilaça, no Teatro TUCA e Turnê.

2010: “Flechas do Anjo do Esquecimento”, texto e direção de José Sanchis Sinisterra, no Sesc Pinheiros.

2008/09/10: “A Alma Boa de Setsuan” de Bertold Brecht, direção de Marco Antônio Braz, no Teatro Renaissance e TUCA.

2009/10: “O Travesseiro (poema nº1 para a criança)”, de Kiko Marques. Com a Velha Companhia. Indicação de melhor atriz – Prêmio Coca Cola Femsa. Teatro Alfa.

2007/08: “Ay, Carmela!” de José Sanchis Sinisterra, direção de Marco Antônio Braz. Com a Velha Companhia. Prêmio de Melhor Atriz no Qualidade Brasil 2007 e indicação no Festival Nacional de Teatro de Americana. No Teatro Capobianco e Espaço dos Parlapatões.

2007: “Os Marinheiros” de Fernando Pessoa, direção de Miguel Hernandez. Com a Companhia Anjos Pornográficos. No Teatro Capobianco.

2007: “Tchekov e a Humanidade”, direção de Antônio Abujamra. No Teatro João Caetano.   2006: “Assembléia dos Bichos” de Claudia Vasconcelos. Direção de Johana Albuquerque. Com a Bendita Trupe.

2006: “Edmond” de David Mamet, direção de Ariela Goldman. No Sesc Paulista.

2005 a 2007: “Crepúsculo” texto e direção de Kiko MarquesCom a Velha Companhia. Na galeria Oll Dog e Vila Maria Zélia.

2004: “Revolução Urbana”, musical de Marcos Ferraz. Direção de Fábio Ock, Fezú Duarte e Marcos Okura. Com a Companhia de Teatro Rock. No Teatro Gazeta.

2003: “Brinquedos Quebrados”, texto e direção de José Junior e Kiko Marques. Com Velha Companhia. No Satyros.

2003: “Caos Leminski”, direção de Chico Pennafiel. No Centro Cultural Vergueiro.

2002 a 2004: “O Beijo no Asfalto” de Nelson Rodrigues, direção de Marco Antônio Braz. Com o Circulo dos Comediantes. No TBC e Teatro de Arena.

2002: “Romeu e Julieta” de William Shakespeare. Direção de Willian Pereira, no SESI.

2000 a 2002: “Bonitinha, mas Ordinária” de Nelson Rodrigues. Direção Marco Antônio Braz.  Com o Circulo dos Comediantes. No Teatro de Arena.

1999: “A Cruzada das Crianças” exposição dramática de Marcel Schowb. Direção Marco Antônio Braz. Com o Circulo dos Comediantes. No Centro Cultural Vergueiro.

1999: “Monstros Peludos” de Guga Stroeter. Direção Marco Antônio Braz. Com o Circulo dos Comediantes. No TBC.

1998: “Curupira” de Roger Melo. Direção de Ricardo Schopki. No teatro Hilton.

1997: “O Theatro de Brinquedos”, direção de Luís André Cherubine. Com o Grupo Sobrevento. Sescs.

1996: “Hamlet e Macbeth“, direção de Flávia Pucci.  Com o Grupo Butoh Hur. Teatro Vento Forte.

1995 a 2000: “Perdoa-me, por me Traíres” de Nelson Rodrigues. Direção de Marco Antônio Braz. Com o  Circulo dos Comediantes. Centro Cultural Vergueiro.

1993: “As Troianas” de Eurípides. Direção Ronaldo Moraes. Prêmio de atriz revelação no Fetamink.  No Teatro da AABB.

1991: “Teatrando”, direção de Carminda André. No Teatro da AABB.  

CINEMA

2019: “A mulher que não sabia de si”, curta-metragem de Daniela Smith.

2014: “De onde eu te Vejo”, longa-metragem de Luiz Vilaça.

2006: “O Papel das Dobras”, curta-metragem de Bruno Jorge.

2002: “Sonhos Tropicais”, longa-metragem de André Sturm. Roteiro de Fernando Bonassi.

1998: “Ardil”, curta-metragem de João Carlos Lemos e Roger Carlo Magno.

1998: “Três minutos de imponderabilidade mais um epílogo”, curta-metragem de Èlcio Verçosa Filho e Francisco Costábile.    

TV

2021: “Desalma”, criada e escrita por Ana Paula Maia com direção artística de Carlos Manga Jr. 2ª temporada. TV Globo/Globoplay.

2009: “Unidos do Livramento”, de Machado de Assis, direção de Maucir Campanholi – TV Cultura – Programa Direções.

2008: “Mothern”, direção de Pedro Amorin – GNT

2008: “Réquiem”, de Tolstoi, direção de Maucir Campanholi –  TV Cultura -Programa Direções.

2007: “A Luz da Outra Casa”, de Pirandellodireção de Maucir Campanholi – TV Cultura – Programa Direções.

2000 a 2006: “Retrato Falado”, quadro do Fantástico, na Rede Globo. Direção de Luís Vilaça.

1996: “Colégio Brasil”, novela do SBT. Direção de Roberto Talma.


CURSOS

2018: Patinação artística com Marcelo.

2011/12: Pilates, no Stúdio Fenix.

2011: Oficina com Theatre du Soleil – Sesc Belenzinho.

2010: Flamenco Inter I, com Vera Alejandra, na Cuadra Flamenca.

2009: Dramaturgia Atoral, com José Sanchis Sinisterra no Instituto Cervantes.

2009: Flamenco Iniciante II com Ana Cristina Marzagão na Cuadra Flamenca.

2009: Maratona flamenca da Companhia Raies dança teatro com Deborah Nefussi e Carol da Mata.

2009: Flamenco Iniciante I, com Denise Santoro, na Escola Pulsarte.

2006: Iyengar Yoga. Ministrado por Sandro Bosco.

2005: Pilates com Rute Rachou na Escola Municipal de Bailado.

2004: Realismo contemporâneo com Denise Weinberg

2003: Jazz na Promenade com professora Helena.

2002: Luta e expressão corporal com Ariela Goldman.

2001: Canto com Roberta Faria.

2000: Cinema com Carlos Reichebach.

1997: Canto lírico com Tânia Gréggio.

1995: Butoh com Flávia Pucci.

1994: Interpretação com Hélio Cícero.

1993: Montagem teatral com Paula Coelho e Márcio Marciano.

1991: Dança Moderna e Jazz na AABB.

1991: Expressão vocal e corporal com Ronaldo Moraes.

1990: Dança moderna na escola Elza Prado.

1990: Improvisação com Carminda André.

 

Aptidões

Natação
Pilates
Yoga
Flamenco
Dança Moderna e Jazz
Canto lírico

Links

Elementor #603

Virgínia Buckowski

Altura: 1.65m
Error: the field format must contains "%s" or "%1$s".

Release

    • Uma das fundadoras da Velha Companhia. Além de atriz, faz a idealização e produção dos projetos, ao lado de Kiko Marques e Alejandra Sampaio. Companhia de Teatro de São Paulo, que tem 19 anos de história e diversos prêmios em seu currículo. Casa Submersa, espetáculo mais recente da companhia, lhe rendeu indicação ao prêmio Shell de melhor atriz de 2019. 

     

    • Está na segunda temporada da série Desalma, da Globoplay,  que estreou em abril de 2022É sua estreia em série, no papel da investigadora Natasha Wolonski.

     

    • É protagonista da audiossérie Casa Submersa, que estreou em maio de 2002 e está no Spotify. Interpreta a bióloga Maíra.

     

    • Atuou na peça sucesso de público e crítica, Um bonde Chamado Desejo, com direção de Rafael Gomes. Personagem Stella. A peça fez longa temporada em SP e depois RJ em 2018.

     

    • Protagonizou o filme “A mulher que não sabia de si” de Daniela Smith. Está percorrendo vários festivais de cinema de curta-metragem.

     

    • Espetáculos CAIS ou Da Indiferença das Embarcações e Sínthia, da Velha Companhia, ficaram anos em cartaz, e lhe renderem diversas indicações a prêmios de atriz: Qualidade Brasil, Aplauso Brasil, Cenym e festivais.

     

    • Atuou por quatro anos nas montagens teatrais de: A Alma Boa de Setsuan e Sem Pensar, ao lado da atriz Denise Fraga,  percorrendo diversas cidades do país.

     

    • Ay, Carmela! texto do conceituado autor espanhol José Sanchis Sinisterra, lhe rendeu prêmio de melhor atriz de 2008, no Qualidade Brasil. O autor veio até o Brasil assistir ao espetáculo.

     

    • Atuou em episódios do projeto “Direções” da TV Cultura, sob direção de Maucir Campanholi e fez várias participações no programa “Retrato Falado” na Tv Globo. Mothern, direção de Pedro Amorin – GNT. Colégio Brasil, novela do SBT. Direção de Roberto Talma.

     

    • No cinema participou do longa-metragem “De Onde eu te Vejo” com direção de Luís Vilaça e “Sonhos Tropicais” de André Sturm, além dos curtas “Ardil” de João Carlos Lemos, “Três Minutos de Imponderabilidade” de Élcio Verçosa e “O Papel da Dobras” de Bruno Jorge.

     

    • No espetáculo O Travesseiro foi indicada ao Prêmio Coca Cola de melhor atriz de 2010.

     

    • Atuou em vários espetáculos, sendo dirigida por Antônio Abujamra, Ariela Goldman, Marco Antônio Braz, José Sanchis Sinisterra, William Pereira, entre outros.

     

    • Fez parte do conceituado grupo Círculo dos Comediantes, dirigido por Marco Antônio Braz, nos anos 90, com foco nas montagens da obra de Nelson Rodrigues. Sua estreia profissional foi em 1994, na peça Perdoa-me, por me Traíres, que ficou cinco anos em cartaz. Permaneceu vários anos no grupo, onde fez sua primeira protagonista: Selminha, de O Beijo no Asfalto.

     

    • Protagonizou algumas campanhas publicitárias: Boticário, Sazon, Banco Meridional, etc.

     

    • Trabalhou em projetos sociais como Artista Orientadora, nas periferias de Guarulhos e Perus, no Projeto de Teatro Vocacional e Projeto Processos Educativos através do Teatro.

Histórico

Formação: formada pelo INDAC – Instituto de Arte e Ciência.

– 2003: Uma das fundadoras da Velha Companhia (premiada companhia de teatro de São Paulo), cujo os últimos trabalhos foram “Cais ou Da Indiferença das Embarcações”, “Sinthía” e “Casa Submersa”)

– 1994 a 2003: Participou por nove anos do Grupo Círculo dos Comediantes, dirigido por Marco Antônio Braz, e que tinha como pesquisa e repertório as peças de Nelson Rodrigues. Sua estreia profissional foi na peça “Perdoa-me, por me Traíres”.

TEATRO

2019: “CASA SUBMERSA texto e direção de Kiko Marques. Está indicada ao Prêmio Shell de melhor atriz 2019.  Com a Velha Companhia. Sesc Pompeia e Núcleo Experimental. Indicada ao prêmio shell de melhor atriz 2019.  

2016: “SÍNTHIA” texto e direção de Kiko Marques. Com a Velha Companhia. No Espaço dos Fofos. Indicação de melhor atriz coadjuvante no prêmio Aplauso Brasil 2016 e no prêmio Cenym 2017.  

2015/16: “Um Bonde Chamado Desejo” de Tenessee Willians. Direção Rafael Gomes. No Tuca Arena e Teatro XP Investimentos no Rj.  

2012/13/14/15/16: “Cais ou Da Indiferença das Embarcações”, texto e direção de Kiko Marques. Com Velha Companhia no Teatro Capobianco.

2011/12: “Sem Pensar” de Anya Reis, direção de Luís Vilaça, no Teatro TUCA e Turnê.

2010: “Flechas do Anjo do Esquecimento”, texto e direção de José Sanchis Sinisterra, no Sesc Pinheiros.

2008/09/10: “A Alma Boa de Setsuan” de Bertold Brecht, direção de Marco Antônio Braz, no Teatro Renaissance e TUCA.

2009/10: “O Travesseiro (poema nº1 para a criança)”, de Kiko Marques. Com a Velha Companhia. Indicação de melhor atriz – Prêmio Coca Cola Femsa. Teatro Alfa.

2007/08: “Ay, Carmela!” de José Sanchis Sinisterra, direção de Marco Antônio Braz. Com a Velha Companhia. Prêmio de Melhor Atriz no Qualidade Brasil 2007 e indicação no Festival Nacional de Teatro de Americana. No Teatro Capobianco e Espaço dos Parlapatões.

2007: “Os Marinheiros” de Fernando Pessoa, direção de Miguel Hernandez. Com a Companhia Anjos Pornográficos. No Teatro Capobianco.

2007: “Tchekov e a Humanidade”, direção de Antônio Abujamra. No Teatro João Caetano.   2006: “Assembléia dos Bichos” de Claudia Vasconcelos. Direção de Johana Albuquerque. Com a Bendita Trupe.

2006: “Edmond” de David Mamet, direção de Ariela Goldman. No Sesc Paulista.

2005 a 2007: “Crepúsculo” texto e direção de Kiko MarquesCom a Velha Companhia. Na galeria Oll Dog e Vila Maria Zélia.

2004: “Revolução Urbana”, musical de Marcos Ferraz. Direção de Fábio Ock, Fezú Duarte e Marcos Okura. Com a Companhia de Teatro Rock. No Teatro Gazeta.

2003: “Brinquedos Quebrados”, texto e direção de José Junior e Kiko Marques. Com Velha Companhia. No Satyros.

2003: “Caos Leminski”, direção de Chico Pennafiel. No Centro Cultural Vergueiro.

2002 a 2004: “O Beijo no Asfalto” de Nelson Rodrigues, direção de Marco Antônio Braz. Com o Circulo dos Comediantes. No TBC e Teatro de Arena.

2002: “Romeu e Julieta” de William Shakespeare. Direção de Willian Pereira, no SESI.

2000 a 2002: “Bonitinha, mas Ordinária” de Nelson Rodrigues. Direção Marco Antônio Braz.  Com o Circulo dos Comediantes. No Teatro de Arena.

1999: “A Cruzada das Crianças” exposição dramática de Marcel Schowb. Direção Marco Antônio Braz. Com o Circulo dos Comediantes. No Centro Cultural Vergueiro.

1999: “Monstros Peludos” de Guga Stroeter. Direção Marco Antônio Braz. Com o Circulo dos Comediantes. No TBC.

1998: “Curupira” de Roger Melo. Direção de Ricardo Schopki. No teatro Hilton.

1997: “O Theatro de Brinquedos”, direção de Luís André Cherubine. Com o Grupo Sobrevento. Sescs.

1996: “Hamlet e Macbeth“, direção de Flávia Pucci.  Com o Grupo Butoh Hur. Teatro Vento Forte.

1995 a 2000: “Perdoa-me, por me Traíres” de Nelson Rodrigues. Direção de Marco Antônio Braz. Com o  Circulo dos Comediantes. Centro Cultural Vergueiro.

1993: “As Troianas” de Eurípides. Direção Ronaldo Moraes. Prêmio de atriz revelação no Fetamink.  No Teatro da AABB.

1991: “Teatrando”, direção de Carminda André. No Teatro da AABB.  

CINEMA

2019: “A mulher que não sabia de si”, curta-metragem de Daniela Smith.

2014: “De onde eu te Vejo”, longa-metragem de Luiz Vilaça.

2006: “O Papel das Dobras”, curta-metragem de Bruno Jorge.

2002: “Sonhos Tropicais”, longa-metragem de André Sturm. Roteiro de Fernando Bonassi.

1998: “Ardil”, curta-metragem de João Carlos Lemos e Roger Carlo Magno.

1998: “Três minutos de imponderabilidade mais um epílogo”, curta-metragem de Èlcio Verçosa Filho e Francisco Costábile.    

TV

2021: “Desalma”, criada e escrita por Ana Paula Maia com direção artística de Carlos Manga Jr. 2ª temporada. TV Globo/Globoplay.

2009: “Unidos do Livramento”, de Machado de Assis, direção de Maucir Campanholi – TV Cultura – Programa Direções.

2008: “Mothern”, direção de Pedro Amorin – GNT

2008: “Réquiem”, de Tolstoi, direção de Maucir Campanholi –  TV Cultura -Programa Direções.

2007: “A Luz da Outra Casa”, de Pirandellodireção de Maucir Campanholi – TV Cultura – Programa Direções.

2000 a 2006: “Retrato Falado”, quadro do Fantástico, na Rede Globo. Direção de Luís Vilaça.

1996: “Colégio Brasil”, novela do SBT. Direção de Roberto Talma.


CURSOS

2018: Patinação artística com Marcelo.

2011/12: Pilates, no Stúdio Fenix.

2011: Oficina com Theatre du Soleil – Sesc Belenzinho.

2010: Flamenco Inter I, com Vera Alejandra, na Cuadra Flamenca.

2009: Dramaturgia Atoral, com José Sanchis Sinisterra no Instituto Cervantes.

2009: Flamenco Iniciante II com Ana Cristina Marzagão na Cuadra Flamenca.

2009: Maratona flamenca da Companhia Raies dança teatro com Deborah Nefussi e Carol da Mata.

2009: Flamenco Iniciante I, com Denise Santoro, na Escola Pulsarte.

2006: Iyengar Yoga. Ministrado por Sandro Bosco.

2005: Pilates com Rute Rachou na Escola Municipal de Bailado.

2004: Realismo contemporâneo com Denise Weinberg

2003: Jazz na Promenade com professora Helena.

2002: Luta e expressão corporal com Ariela Goldman.

2001: Canto com Roberta Faria.

2000: Cinema com Carlos Reichebach.

1997: Canto lírico com Tânia Gréggio.

1995: Butoh com Flávia Pucci.

1994: Interpretação com Hélio Cícero.

1993: Montagem teatral com Paula Coelho e Márcio Marciano.

1991: Dança Moderna e Jazz na AABB.

1991: Expressão vocal e corporal com Ronaldo Moraes.

1990: Dança moderna na escola Elza Prado.

1990: Improvisação com Carminda André.

 

Aptidões:

> Patinação Artística

> Natação

> Pilates

> Yoga

> Flamenco

> Dança Moderna e Jazz

> Canto lírico

Compartilhe:

Outros artistas relacionados

Todos os direitos reservados à VGI Agentes® Dev. by Pompz Artes